quarta-feira, 27 de junho de 2012

Mafalda

terça-feira, 26 de junho de 2012

sábado, 23 de junho de 2012

Joaquim Pessoa - Amo-te Por Todas as Razões e Mais Uma


Esta é a resposta que costumo dar-te quando me perguntas por que razão te amo. Porque nunca existe apenas uma razão para amar alguém. Porque não pode haver nem há só uma razão para te amar. Amo-te porque me fascinas e porque me libertas e porque fazes sentir-me bem. E porque me surpreendes e porque me sufocas e porque enches a minha alma de mar e o meu espírito de sol e o meu corpo de fadiga. E porque me confundes e porque me enfureces e porque me iluminas e porque me deslumbras. Amo-te porque quero amar-te e porque tenho necessidade de te amar e porque amar-te é uma aventura. Amo-te porque sim mas também porque não e, quem sabe, porque talvez. E por todas as razões que sei e pelas que não sei e por aquelas que nunca virei a conhecer. E porque te conheço e porque me conheço. E porque te adivinho. Estas são todas as razões. 
Mas há mais uma: porque não pode existir outra como tu. 

quarta-feira, 20 de junho de 2012

O Teatro Mágico - Transição

Apreciar os riscos e suposições
Manifestar brandura e mansidão
Assegurar acessibilidade
E preservar coragem em transição
Se enunciar... repleta e intacta!
Apta a habitar todo lugar!
Se aflorar... bela!
Assim que for embora
Perpetuar a história
Desvalidar o improvável!
Desdenhar do inconcebível!
Ocupar o ar das horas!
Plenas, serenas, inéditas e autênticas!
Revidar!
Bela!
Desperta em nós
nova aurora ao coração!
E ensina a perder... medo!
Alcança a voz!
Acordar de prontidão!
Anunciar!
"Milagres acontecem quando a gente vai à luta!"


terça-feira, 19 de junho de 2012

Lewis Carroll - Alice no pais das maravilhas(frag)

(...) mas Alice tinha se acostumado tanto a esperar só coisas esquisitas acontecerem que lhe parecia muito sem graça e maçante que a vida seguisse da maneira habitual."

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Saramago - aforismo

Não mudaremos a vida se não mudamos de vida. Há que perder a paciência.

sábado, 16 de junho de 2012

Guimarães Rosa - citação

Só se pode viver perto de outro, e conhecer outra pessoa, sem perigo de ódio, se a gente tem amor. Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura.

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Lana Del Rey - Born To Die(tradução)

Meu, oh eu, meu

Pés, não falhem agora
Levem-me até a linha de chegada
Meu coração se parte a cada passo que eu dou
Mas eu espero que os portões,
Eles me dirão que você é meu
Andando pelas ruas da cidade
É por engano ou desejo?
Eu me sinto tão sozinha toda sexta-feira à noite
Você me faz sentir em casa
Se eu disser que você é meu?
Como eu te disse, querido

Não me deixe triste, não me faça chorar
Às vezes o amor não é o bastante e a estrada fica difícil
Eu não sei por que
Continue me fazendo sorrir
Vamos nos embriagar
A estrada é longa, nós seguimos adiante
Tentamos nos divertir no meio tempo

Venha caminhar no lado selvagem
Deixe-me te beijar forte na tempestade
Você gosta das sua garotas insanas, então
Escolha suas últimas palavras
Esta é a última vez
Porque você e eu
Nascemos para morrer

Perdida, mas agora me encontrei
Eu posso ver, mas uma vez já fui cega
Eu estava tão confusa, feito uma criancinha
Tentando pegar o que eu pudesse
Com medo de não conseguir encontrar
Todas as respostas, querido

Não me deixe triste, não me faça chorar
Às vezes o amor não é o bastante e a estrada fica difícil
Eu não sei por que
Continue me fazendo sorrir
Vamos nos embriagar
A estrada é longa, nós seguimos adiante
Tentamos nos divertir no meio tempo

Venha caminhar no lado selvagem
Deixe-me te beijar forte na tempestade
Você gosta das sua garotas insanas, então
Escolha suas últimas palavras
Esta é a última vez
Porque você e eu
Nascemos para morrer
Nascemos para morrer
Nascemos para morrer
Nascemos para morrer

Venha caminhar no lado selvagem
Deixe-me te beijar forte na tempestade
Você gosta das sua garotas insanas

Não me deixe triste, não me faça chorar
Às vezes o amor não é o bastante e a estrada fica difícil
Eu não sei por que
Continue me fazendo sorrir
Vamos nos embriagar
A estrada é longa, nós seguimos adiante
Tentamos nos divertir no meio tempo

Venha caminhar no lado selvagem
Deixe-me te beijar forte na tempestade
Você gosta das sua garotas insanas, então
Escolha suas últimas palavras
Esta é a última vez
Porque você e eu
Nascemos para morrer
Nascemos para morrer
Nascemos para morrer


Pablo Neruda - O teu riso

Tira-me o pão, se quiseres, 
tira-me o ar, mas 
não me tires o teu riso. 

Não me tires a rosa, 
a flor de espiga que desfias, 
a água que de súbito 
jorra na tua alegria, 
a repentina onda 
de prata que em ti nasce. 

A minha luta é dura e regresso 
por vezes com os olhos 
cansados de terem visto 
a terra que não muda, 
mas quando o teu riso entra 
sobe ao céu à minha procura 
e abre-me todas 
as portas da vida. 

Meu amor, na hora 
mais obscura desfia 
o teu riso, e se de súbito 
vires que o meu sangue mancha 
as pedras da rua, 
ri, porque o teu riso será para as minhas mãos 
como uma espada fresca. 

Perto do mar no outono, 
o teu riso deve erguer 
a sua cascata de espuma, 
e na primavera, amor, 
quero o teu riso como 
a flor que eu esperava, 
a flor azul, a rosa 
da minha pátria sonora. 

Ri-te da noite, 
do dia, da lua, 
ri-te das ruas 
curvas da ilha, 
ri-te deste rapaz 
desajeitado que te ama, 
mas quando abro 
os olhos e os fecho, 
quando os meus passos se forem, 
quando os meus passos voltarem, 
nega-me o pão, o ar, 
a luz, a primavera, 
mas o teu riso nunca 
porque sem ele morreria. 

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Fernando Pessoa - Livro do Desassossego

Fragmento 80.

Mesmo eu, o que sonha tanto, tenho intervalos em que o sonho me foge, então as coisas aparecem-me nítidas. Esvai-se a névoa de que me cerco. E todas as arestas visíveis ferem a carne da minha alma. Todas as durezas olhadas me magoam o conhecê-las durezas. Todos os pesos visíveis de objectos me pesam por a alma dentro.
A minha vida é como se me batessem com ela.




quinta-feira, 7 de junho de 2012

Tim Burton - Big Fish



quarta-feira, 6 de junho de 2012

Therion - Lemuria(tradução)

No oceano, profundamente abaixo
Sob as bravas ondas, envolvidas nas memórias você encontrará.
Navios destruídos, todos foram desencaminhados.

Capitão, você encontrou
A terra de Mu, o Eldorado para os marinheiros?
Ou você afundou-se nos sonhos
E perdeu seus navios na sinfonia das sereias?

Quando o marinheiro velejar para longe
Ele mostrará que o sonho de Lemuria é real
Uma terra perdida que ele encontrará novamente
Ouça o chamado da canção das anemonas nas profundezas
Você ousa entrar no navio?
Ouça o chamado de baixo,de um mundo subaquático
A terra de Mu é perto das estrelas
E nos braços do mar você viverá hipnotizado.

Chamado de Narayana,o sete-cabeças adormecido
Em Lemuria,levante-se!

Quando o marinheiro velejar para longe
Ele mostrará que o sonho de Lemuria é real
Uma terra perdida que ele encontrará novamente
Ouça o chamado da canção das anemonas nas profundezas
Você ousa entrar no navio?
Ouça o chamado de baixo,de um mundo subaquático
A terra de Mu é perto das estrelas
E nos braços do mar você viverá hipnotizado.


domingo, 3 de junho de 2012

Virgínia Woolf - Noite e Dia (frag.)

‎"Você precisa de idéias, Mary. Agarre-se a alguma coisa grande. Não se importe em errar, mas não se perca em ninharias. Por que não abandona tudo por um ano, e viaja? Veja algo do mundo."


sábado, 2 de junho de 2012

Invocação


Venha a superficie,
dama das trevas,
entoar outra canção,
um veneno para o coração
outro sopro de loucura.


Lady obscura, insana
cante mais versos
meus pensamentos desfeitos
torturados, amaldiçoados
destruídos nestes caminhos


Será a prisão mais doce
de ter-te em mim 
e nunca ser livre?


Será a maldição mais bela,
a de ser controlada
abandonada e esquecida
pelo outro lado de mim?


Venha, mais uma vez
transformar esse sangue
em poesia maligna
Uma ultima vez, oh dama!
trazer-me seu desespero
medo e horror!


J.A.Cabral
06/12


fonte da imagem: http://leedu67.deviantart.com/art/Silhouette-sombre-283949440

sexta-feira, 1 de junho de 2012