segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Carla Bruni - Chanson Triste (Tradução)

Canção justamente pra você,
Canção um pouco triste, eu creio,
Três tempos de palavras feridas,
Algumas notas e todos meus lamentos,
Todos meus lamentos de nos dois,
Estão na ponta de meus dedos,
Como do, ré, mi fa, sol, la, si, do.
É uma canção de amor desvanecido,
Como aquela que você cantou,
Três vezes, nada de nossas vidas,
Três vezes, nada como essa melodia,
É o que resta de nós dois,
No grito de minha voz,
Como do, ré, mi fa, sol, la, si, do.
É uma canção em recordação
Para não se esquecer, sem nada dizer
Se esquecer, sem nada dizer


domingo, 29 de janeiro de 2012

Sucker Punch

‎"Todos nós temos um anjo.
Um guardião que zela por nós.
Não sabemos qual forma eles vão tomar.
Num dia, a de um velho.
No dia seguinte, a de uma menininha.
Mas não se deixe enganar pelas aparências,
Podem ser ferozes como qualquer dragão,
Mas não estão aqui para travar nossas batalhas...

e sim para ser a voz suave do nosso coração
lembrando-nos de quem nós somos."


quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Virgínia Woolf - As ondas (frag)

"Mesmo assim a vida é agradável, a vida é tolerável. Terça-feira vem depois de segunda; depois, vem quarta. A mente cresce em anéis ; a identidade se robustece; a dor é absorvida no crescimento. Abrindo e fechando, fechando e abrindo, com crescente rumor e intensidade, a pressa e a febre da juventude trabalham até que todo o ser pareça expandir e encolher-se como a mola principal de um relógio.Como flui depressa a torrente de janeiro a dezembro! Somos impelidos à frente pelo fluxo das coisas que se tornam familiares a ponto de já nem lançarem sombra. Flutuamos, flutuamos..."

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Osho -frag

" Muitas pessoas que estão em um estado mental extremamente confuso começam a ajudar outras e começam a propor soluções. Estas pessoas têm criado mais problemas do que os tem resolvido. Elas ainda não resolveram sua própria consciência interna e se acham prontas para se deparar com todo mundo e para resolver os problemas das outras pessoas.

Na verdade, desta maneira estão evitando a sua própria realidade; não querem enfrentá-la. Querem permanecer engajadas em algum outro lugar, com outras pessoas - isto lhes proporciona uma boa ocupação, uma boa distração.

Sim, há problemas, eu concordo. Há grandes problemas. O mundo é um inferno. Na vida encontramos a infelicidade, a pobreza, a violência, todos os tipos de loucuras - isso é verdade - mas, ainda assim, eu insisto que o problema está na alma do indivíduo.

O problema existe porque os indivíduos estão vivendo um caos internamente. O caos total não é nada além de um fenômeno combinado: todos nós derramamos o nosso caos nele.

O mundo não é nada além de um relacionamento; estamos conectados um com o outro. Se eu sou um neurótico e você é um neurótico, então o relacionamento será ainda mais neurótico - a neurose será multiplicada, não apenas duplicada. E todo mundo é neurótico; por isso o mundo é neurótico. Adolf Hitler não surgiu de repente - nós o criamos. O Vietnã não surgiu de repente - nós o criamos. É o nosso pus que supura; é o nosso caos que custa caro.

O início tem de estar com você: você é o "problema do mundo". Portanto, não evite a realidade do seu mundo interior - essa é a primeira coisa.

Você é o problema, e a menos que você seja resolvido, qualquer coisa que faça irá tornar as coisas mais complicadas. Primeiro coloque sua casa em ordem - crie um cosmos lá.

Como você está, quando está interessado nos problemas da humanidade, está interessado nos sintomas. Você pode não concordar, porque não consegue enxergar a raiz, você só enxerga o sintoma. Um Buda está interessado - mas ele sabe onde está a raiz, e se esforça muito para mudar essa raiz.

A pobreza não é a raiz, a raiz é a ambição. A pobreza é o resultado. Você continua lutando contra a pobreza e nada vai acontecer. A raiz é a ambição; a ambição tem de ser extirpada.

A guerra não é o problema; o problema é a agressividade individual - a guerra é apenas a acumulação da agressividade individual. Você continua participando de passeatas de protesto, e a guerra não vai ser detida. Isso não faz nenhuma diferença - suas passeatas de protesto, tudo isso.

O problema não é a guerra. O problema é a agressão que está dentro dos indivíduos. As pessoas não estão em paz consigo mesmas, por isso a guerra tem de existir. do contrário, essas pessoas vão enlouquecer.

A cada década, uma grande guerra é necessária para descarregar a humanidade de suas neuroses. O problema não é a guerra; o problema é a neurose individual.

Aqueles que se tornaram iluminados buscam as causas profundas das coisas. Buda, Cristo, Khrisna, eles examinaram as raízes e tentaram lhe dizer: Mude a raiz - é necessária uma transformação radical; as reformas comuns não vão funcionar.

Mas você pode não entender... você não pode ver a relação, não percebe como a meditação está relacionada com a guerra.

O meu entendimento é o seguinte: se pelo menos um por cento da humanidade se tornar meditativo, as guerras vão desaparecer. E não há outra maneira de pôr fim às guerras. Esse tanto de energia meditativa tem de ser liberado.

Se um por cento da humanidade - isso significa uma entre cem pessoas - se tornar meditativa, as coisas terão de ser totalmente diferentes. A ambição será menor e, naturalmente, a pobreza será menor. A pobreza não está aí porque as coisas são escassas; a pobreza está aí porque as pessoas estão acumulando, porque as pessoas são ambiciosas.

Viver o momento, viver no presente, viver amorosamente, viver em amizade, cuidar... e o mundo será totalmente diferente. O indivíduo tem de mudar, porque o mundo não é nada além de um fenômeno projetado da alma individual". 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Vinícius de Moraes - Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.


Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento


E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama


Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.



sábado, 21 de janeiro de 2012

Vinícius de Moraes - Soneto do amor total

Amo-te tanto, meu amor ... não cante
O humano coração com mais verdade ...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.

Amo-te afim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.

Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.

E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude.




sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Gralha Azul

Conta a lenda que, uma certa gralha negra, dormia num galho de pinheiro e foi acordada pelo som dos golpes de um machado. Assustada, voou para as nuvens, para não presenciar a cena do extermínio do pinheiro. Lá no céu, ouviu uma voz pedindo para que ela retornasse para os pinheirais, pois assim ela seria vestida de azul celeste e passaria a plantar pinheiros. A gralha aceitou então a missão e foi totalmente coberta por penas azuis, exceto ao redor da cabeça, onde permaneceu o preto dos corvídeos. Retornou então aos pinheirais e passou a espalhar a semente da araucária, conforme o desejo divino.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Lacuna Coil - 1.19 (tradução)

Raio de luz irritante como um gelado suspiro no olhos
Lágrima cai


As luzes ao redor estão lampejando
E na carne é a lâmina
Lágrimas caem


Parece que o dia chegou
(Não posso lidar com isto)
Escute a música em minha mente
Por um momento
Parece que minha hora chegou


Minha carapaça desapareceu
Engulo turbilhões de areia em minha boca
Mas é maravilhoso, eu sei...
Escondendo todo o meu medo
Meu pesadelo está se tornando real
Venha, dê uma olhada em mim
Eu sou um perdedor


Encondendo todos meus crimes
E me esquecendo de minhas idéias
Dê uma olhada em mim
Eu sou um perdedor
Eu sou um perdedor
Eu sou um perdedor
Eu sou um perdedor
Eu sou um perdedor
Eu sou um perdedor

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Lenine - Uma canção e só

Desde de que eu me encanto, sigo a voz do vento,
Já faz tanto tempo, canto, intento.
A cantoria que me levaria a qualquer lugar,
A melodia que transformaria a quem escutar, assim num piscar,
E fosse o canto assim como um quebranto à compreensão,
E cada nota revelasse a reta do seu coração,
Só pela canção, tocar você.
Já faz tanto tempo que sigo a voz do vento,
Canto e não me canso, danço, invento.
Uma batida que tocasse a vida pra um lugar melhor,
Uma canção que fosse vir assim pr'aquela paz maior,
A canção e só.
Que esse quebranto entoasse o canto pela multidão,
Que a minha reta siga cada nota até o seu coração,
Só pela canção, tocar você.


Crônicas de Nárnia (3º filme) - C.S.Lewis

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Legião Urbana - Esperando por mim

Acho que você não percebeu
Que o meu sorriso era sincero
Sou tão cínico às vezes
O tempo todo
Estou tentando me defender
Digam o que disserem
O mal do século é a solidão
Cada um de nós imerso em sua própria
arrogância
Esperando por um pouco de afeição
Hoje não estava nada bem
Mas a tempestade me distrai
Gosto dos pingos de chuva
Dos relâmpagos e dos trovões
Hoje à tarde foi um dia bom
Saí prá caminhar com meu pai
Conversamos sobre coisas da vida
E tivemos um momento de paz
É de noite que tudo faz sentido
No silêncio eu não ouço meus gritos
E o que disserem
Meu pai sempre esteve esperando por mim
E o que disserem
Minha mãe sempre esteve esperando por mim
E o que disserem
Meus verdadeiros amigos sempre esperaram por mim
E o que disserem
Agora meu filho espera por mim
Estamos vivendo
E o que disserem os nossos dias serão para sempre

domingo, 15 de janeiro de 2012

Missão dos 12 signos do Zodíaco

Era manhã quando Deus parou diante de suas 12 crianças e em cada uma delas plantou a semente da vida humana. Uma por uma, elas se dirigiram a Ele para receber seu dom e conhecer a sua missão. 


"A ti, Áries, dou a missão de plantar a Minha primeira semente. Para cada semente que plantares, outras milhares de sementes se multiplicarão. Entretanto, não terás tempo de vê-las crescer, pois tua vida é ação e a ti compete tornar os homens cientes de Minha Criação. Por isso, serás o primeiro a penetrar no solo da mente humana com Minha Idéia. E para que faças um bom trabalho, dou-te a provação do orgulho para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da iniciativa." 


"A ti, Touro, concedo o poder de transformar a semente em substância. Trabalharás com afinco e paciência para que as sementes não se percam ao vento. Não questionarás ou mudarás de idéia até que termines tudo que já foi iniciado, pois a ti compete o processo de concretização da Minha Idéia. E para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação do apego para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da força." 


"A ti, Gêmeos, atribuo a tarefa de comunicar ao mundo Minha Idéia. Por isso te dou perguntas sem respostas. Em tua busca pelo conhecimento, inquietarás os que estão ao teu redor, para que compreendam o que vêem e o que ouvem. Tu serás um, mas pensarás e falarás por dois. E para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da superficialidade para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da inteligência." 


"A ti, Câncer, dou a missão de implantar no coração do homem a emoção. Minha Idéia se fará sentir por meio de risos e lágrimas, para que todo o conhecimento adquirido atinja plenitude interior. Tu multiplicarás os sentimentos com teu instinto de preservação, de modo que os homens se reunam em famílias. Para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação da fragilidade para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da fertilidade." 


"A ti, Leão, atribuo a tarefa de mostrar ao mundo o esplendor de Minha Criação. Tu iluminarás os corações humanos com Minha Luz, acendendo em cada um o entusiasmo de assumir a própria existência. Mas peço-te que não confundas as coisas e lembra-te que é Minha a Idéia, e não tua. Para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da vaidade para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da honra." 


"A ti, Virgem, dou a missão de examinar em detalhes o que os homens têm feito com Minha Criação. Tu analisarás seus passos e revelarás seus erros para que, por intermédio de ti, Minha Idéia mantenha-se pura e possa ser aperfeiçoada. Para realizares um bom trabalho, dou-te a provação da ceticismo para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da discernimento." 


"A ti, Libra, dou a missão de unir os homens em torno da Minha Idéia. Tu despertarás o desejo da cooperação, por meio da capacidade de se colocar no lugar do outro e então sentir o que o outro sente. Estarás onde houver desavença, para que possas mostrar o valor do acordo e da justiça. E para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da indolência para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da paz." 


"A ti, Escorpião, peço que não te afastes de mim quando doer em teu coração as maldades que presenciares. Terás a capacidade de penetrar na mente dos homens e, conhecendo-a, perceberás que não sou Eu, mas a perversão da Minha Idéia que está causando tua dor. Chegarás a conhecer o homem em seu instinto animal e lutarás contra o próprio dentro de ti. Para que faças um bom trabalho, dou-te a provação do extremismo para dominares e, como bênção, concedo-te o dom do renascimento." 


"A ti, Sagitário, atribuo a missão de ensinar o riso e esperança, para que no meio das incompreensões da Minha Criação o homem não se torne amargo. Através da esperança, implantarás no coração humano a fé e através da fé voltarás teus olhos para Mim. Expandirás assim Minha Idéia por todos os cantos e os mais longínquos lugares. E para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação da intolerância para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da generosidade." 


"A ti, Capricórnio, dou a tarefa de mostrar com o suor de teu rosto o valor do trabalho. Fincarás com disciplina os alicerces de Minha Criação, para que nada destrua suas bases. E tua alegria pelo dever cumprido ensinará que a responsabilidade não é um fardo e sim uma condição natural. E para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da culpa para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da autoridade." 


"A ti, Aquário, dou a missão de abrir os olhos dos homens para novas possibilidades. Por isso terás o conceito do futuro e do amor fraternal. Sentirás a solidão dos que vivem à frente do seu tempo, pois não lhe permito personalizar Meu Amor. Viverás livre para que possas servir à humanidade renovando a Minha Criação. Para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da rebeldia para dominares e, como bênção, concedo-te o dom do progresso." 


"A ti, Peixes, dou a missão de incorporar todas as tristezas do homem e voltá-las para Mim. Com compaixão, tu mostrarás que as lágrimas são efeito da incompreensão do homem sobre a Minha Idéia. Tua devoção constitui a mais difícil das missões, mas terás a maior das dádivas. Tu serás a única das Minhas doze crianças a me compreender. Para que realizes um bom trabalho, dou-te a provação da ilusão para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da fé." 

Então, Deus disse:" Cada um de vocês é perfeito, mas vocês não saberão disso antes de cumprir sua missão". 

E as crianças saíram cada uma determinada a fazer o seu trabalho o melhor possível. 

Lacuna Coil - Kill The Light(tradução)

Me Segure
Me Ensine
Me Diga O que Fazer
Mas Eu Não Estou Procurando Um Guia

Eu não posso suportar a Luz
De fora, hoje
Sentindo tão frio dentro da sua sombra

Me Observe Enquanto Estou Caindo
Saia da frente
Não me pergunte o Por Que?
Me deixe para embaixo
Caia no Chão
Corrija Seu Sorriso
Lá Dentro

Quando Eu Estou Perdida
E Não Sei O que fazer
Você Vai Fugir de Mim
Mas Nunca vai Apagar a Luz
Dentro de Mim

Agora ou Nunca
Você pode sentir essa perda
Por favor deixa as memórias desaparecerem
O Tempo vai curar a chuva
Mas algumas vezes dói
Eu quero brilhar fora da sua Alma

Me Observe Enquanto Estou Caindo
Saia da frente
Não me pergunte o Por Que?
Me deixe para embaixo
Caia no Chão
Corrija Seu Sorriso
Lá Dentro

E Eu Estou Perdida
E Não Sei O que fazer
Você Vai Fugir de Mim
Mas Nunca vai Apagar a Luz
Dentro de Mim

E Não Sei o que fazer
Você Vai Fugir de Mim
Mas Nunca vai Apagar a Luz
Dentro de Mim

Eu vou sentir o sol (O quão longe mim)
Volte-se para mim (O quão longe mim)
A luz fora da escuridão (O quão longe mim)
Não está tão distante (O quão longe mim)

Eu estão longe do nada
Eu só quero escapar
Você ainda não consegue Apagar a Luz
De dentro de mim

E Não Sei o que fazer
Você Vai Fugir de Mim
Mas Nunca vai Apagar a Luz
Dentro de Mim

E Não Sei o que fazer
Você Vai Fugir de Mim
Mas Nunca vai Apagar a Luz
Dentro de Mim



quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Charles Baudelaire - Elevação

Por cima dos paúes, das montanhas agrestes, 
Dos rudes alcantis, das nuvens e do mar, 
Muito acima do sol, muito acima do ar, 
Para além do confim dos páramos celestes, 

Paira o espírito meu com toda a agilidade, 
Como um bom nadador, que na água sente gozo, 
As penas a agitar, gazil, voluptuoso, 
Através das regiões da etérea imensidade. 

Eleva o vôo teu longe das montureiras, 
Vai-te purificar no éter superior, 
E bebe, como um puro e sagrado licor, 
A alvinitente luz das límpidas clareiras! 

Neste bisonho dai' de mágoas horrorosas, 
Em que o fastio e a dor perseguem o mortal, 
Feliz de quem puder, numa ascensão ideal, 
Atingir as mansões ridentes, luminosas! 

De quem, pela manhã, andorinha veloz, 
Aos domínios do céu o pensamento erguer, 
— Que paire sobre a vida, e saiba compreender 
A linguagem da flor e das coisas sem voz! 




Dream Theater - Under A Glass Moon (tradução)

Diga-me
Lembre-me
Persiga a água correndo do céu
Sempre junto de mim
Experimente as lembranças correndo dos meus olhos
Lanternas nervosas perscrutam meus sonhos
Sombras líquidas silenciam os seus gritos
Eu sorrio na lua
Perseguindo a água que vem do céu
Eu discuto com as nuvens
Roubando a beleza dos meus olhos



Lá fora os ruídos da sua mente
Banhando a sua alma em lágrimas prateadas
De baixo de um céu de verão escurecido
Rezando pelo momento de desaparecer


Abaixo de um céu de verão
Sob um luar de cristal
A noite espera a chegada do cordeiro
Sombras líquidas arrastam-se
Lágrimas prateadas caem
A noiva acalma-se pela sua sobrevivência


Pela sua mão
Eu tenho acordado
Arcando com essa honra em meu nome.


Lá fora os ruídos da sua mente
Banhando a sua alma em lágrimas prateadas
De baixo de um céu de verão escurecido
Rezando pelo momento de desaparecer

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Rita Apoena - fragmento

Quando eu saí de uma importante depressão, eu disse a mim mesma que o mundo no qual eu acreditava deveria existir em algum lugar do planeta. Nem se fosse apenas dentro de mim... Mesmo se ele não existisse em canto algum, se eu, pelo menos, pudesse construi-lo em mim, como um templo das coisas mais bonitas em que eu acredito, o mundo seria sim bonito e doce, o mundo seria cheio de amor, e eu nunca mais ficaria doente. E, nesse mundo, ninguém precisa trocar amor por coisa alguma porque ele brota sozinho entre os dedos da mão e se alimenta do respirar, do contemplar o céu, do fechar os olhos na ventania e abrir os braços antes da chuva. Nesse mundo, as pessoas nunca se abandonam. Elas nunca vão embora porque a gente não foi um bom menino. Ou porque a gente ficou com os braços tão fraquinhos que não consegue mais abraçar e estar perto. Mesmo quando o outro vai embora, a gente não vai. A gente fica e faz um jardim, qualquer coisa para ocupar o tempo, um banco de almofadas coloridas, e pede aos passarinhos não sujarem ali porque aquele é o banco do nosso amor, do nosso grande amigo. Para que ele saiba que, em qualquer tempo, em qualquer lugar, daqui a não sei quantos anos, ele pode simplesmente voltar, sem mais explicações, para olhar o céu de mãos dadas. "




domingo, 8 de janeiro de 2012

sábado, 7 de janeiro de 2012

Homenagem aos 100 anos de Charles Addams

Neste sábado, dia 7 de janeiro, o Google decidiu homenagear um dos cartunistas mais famosos do mundo, Charles Samuel Addams, que faria 100 anos hoje. O doodle presta uma homenagem para o homem que criou os quadrinhos em que os personagens moravam em um mundo particular e sombrio, a Família Addams.
Mais tarde, suas histórias ganharam forma na TV e se tornaram populares em vários países. Charles Addams nasceu em Westfield, em New Jersey, nos Estados Unidos. Ele faleceu aos 76anos, no dia 29 de setembro de 1988, vítima de um ataque do coração. O cartunista trabalhou em uma revista criminal, onde seu trabalho era pintar cruzes nos lugares onde os corpos eram encontrados.
O humor mórbido de Charles Addams ficou conhecido na revista The New Yorker, que publicou suas primeiras histórias que se tornariam a Família Addams. As figuras góticas, um tanto peculiares e engraçadas fizeram muito sucesso. Moricia, Gomez, Lurcker, Pugsley, It e Wednesday eram os personagens sombrios que se imortalizaram nas telas de cinema anos mais tarde.
No doodle deste sábado os famosos personagens são ilustrados em tons escuros, remetendo as cenas mórbidas em que a história era contada. A Família Addams inspirou outra série tão famosa quanto: Os Monstros. Charles Addams deixou várias se suas marcas para outros cartoons, como o esquiador que passa misteriosamente seus esquis por uma gigantesca árvore.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Caio Fernando Abreu - Citação

Te desejo uma fé enorme.
Em qualquer coisa, não importa o quê.
Desejo esperanças novinhas em folha, todos os dias.
Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo.
Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso.
Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes.
Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito.
Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.
Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz.
As coisas vão dar certo.
Vai ter amor, vai ter fé, vai ter paz – se não tiver, a gente inventa.
Te quero ver feliz, te quero ver sem melancolia nenhuma.
Certo, muitas ilusões dançaram.
Mas eu me recuso a descrer absolutamente de tudo, eu faço força para manter algumas esperanças acesas, como velas.