domingo, 16 de outubro de 2011

Clarice Lispector - Sou como você me vê

É curioso como não sei dizer quem sou.
Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer.
Sobretudo tenho medo de dizer porque
no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto
como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo...
Sou como você me vê.
Posso ser leve como uma brisa ou forte como uma ventania,
Depende de quando e como você me vê passar.
Não me dêem fórmulas certas, por que eu não espero acertar sempre.
Não me mostrem o que esperam de mim, por que vou seguir meu coração.
Não me façam ser quem não sou.
Não me convidem a ser igual, por que sinceramente sou diferente.
Não sei amar pela metade.
Não sei viver de mentira.
Não sei voar de pés no chão.
 Sou sempre eu mesmo, mas com certeza não serei o mesmo para sempre.


Um comentário:

Vicente Neto disse...

é muito bom para gente , quanto passamos por uma momento de peregrinação da razão, quanto ao que somos e o que queremos, nosso começa a se evoluir, se transformar...
até chegarmos a nossa completude

"A verdadeira viagem de descobrimento não consiste em procurar novas paisagens, e sim em ter novos olhos."
Marcel Proust