sábado, 20 de junho de 2009

Sonho de uma noite de verão

“Como é diversa a felicidade dos mortais!” Shakespeare

Se eu pudesse consolar a folha
que caiu do topo da mais alta árvore...
Se eu pudesse controlar o tempo
que voou por entre as margens...
Se eu pudesse consertar o mundo
que se desfez no fim do outono...

Mas o inverno virá, e será triste,
e será vazio de sentido e vida...
pois o calor do sonho já não existe.
E no escuro minh'alma anda perdida...

Se a historia fosse outra, e a noite
não trouxe tanto medo ao coração...
Se a estrada fosse a certa, e a luz
não iluminasse só o erro cometido então...
Se eu pudesse consertar o mundo inteiro
com um simples sonho de uma noite de verão...

Mas o inverno virá; já é tão tarde...
e nesse vazio de sentido e ilusão,
só restam as sobras do que um dia foi verdade,
e minh'alma em completa solidão.


J.A.Cabral 06/09



Um comentário:

۞+†√łŦ◊я†+۞ disse...

Nostalgia carregada de escuridão. Adoro isso. Parabéns pela obra bem feita.
"Se eu pudesse consertar o mundo inteiro
com um simples sonho de uma noite de verão..."
Essa passagem é muito boa. Sonhos sempre são nossas inspirações. Talvez não consertem o mundo. Mas com certeza mudam o universo.